terça-feira, 15 de setembro de 2015

Suspensão dos Concursos - Mentiras e Exageros

Bom dia guerreiro@s,
Segue abaixo uma análise sobre as mentiras e exageros veículadas na mídia sobre a possível suspensão de concursos.
O governo federal anunciou nesta segunda-feira (14/09/2015) a intenção de suspender os concursos públicos para cargos federais no próximo ano, como parte das novas medidas do pacote de ajuste fiscal. A suspensão abrange concursos no Executivo, Legislativo e Judiciário.
Há todo motivo para pessimismo. Sobretudo se você faz o estilo candidato-paraquedista que se empolga quando vê um Edital publicado no DOU e daí você corre para pegar uns xerox emprestados com o amigo e vai para prova com a confiança de quem vai jogar na mega-sena. Bom, se você é esse tipo de candidato, desencana e vai se distrair, dá uma volta. Daí quando o Edital sair você pode começar a estudar e ser reprovado de novo. Agora, se você está realmente focado na aprovação, puxe uma cadeira e vamos falar sério sobre as verdades, mentiras e exageros sobre essa tal suspensão dos concursos públicos em 2016.
O que foi anunciado é a "intenção" de suspender concursos públicos como forma de economizar R$ 1,5 bilhões no orçamento de 2016. Essa discussão ainda dá muito pano para manga. Quem acompanha a política já sabe o quanto de "avanços e recuos" há nessas negociações envolvendo orçamento no Congresso. Quem aí lembra a sofrência que foi para sair o Orçamento de 2015?
Para que haja, de fato, a suspensão é preciso inserir essa mudança no Projeto de Lei Orçamentária de 2016.Muita calma nessa hora! Qualquer pessoa minimamente informada sabe o quão complicadas as negociações estão no Congresso nesse momento. Não há nada certo além da intenção de suspender alguns concursos.
A diretriz de "ajuste fiscal" é real. O tempo não é de bonança. Entretando, o sentimento derrotista que essa notícia gerou é bem longe da real dimensão da notícia.
Em primeiro lugar, essa intenção de suspensão de alguns concursos é para o ano de 2016. O ajuste que se discute é no âmbito do Plano de Diretrizes Orçamentárias de 2016 que tramita no Congresso. Em que ano nós estamos? Nós estamos no ano de 2015 e o orçamento de 2015 foi votado em 18 de Março de 2015!
O Projeto de Lei Orçamentária de 2016 prevê nada menos do que o provimento de 40.389 vagas. O Orçamento previsto é R$ 1,9 bilhões e o anúncio é cortá-lo em R$ 1,5 bilhões, o que deixa para as contratações 0,4 bilhões. Prioridades serão estabelecidas, e ainda haverá muita discussão sobre o assunto.
Esta notícia caiu como uma bomba no meio dos concurseiros, deixando muitos frustrados, desapontados e até mesmo desesperados. Sei o que é se matar de estudar e ainda ter que ouvir estas notícias. Contudo, tenho experiência no tema e direi aqui o efeito real dessa medida. A primeira coisa que digo a você é: calma! Vamos analisar a situação com clareza, técnica e visão macro. O dano pela notícia-bomba é mais psicológico do que efetivo, pelos motivos que seguem.
-Isso é do jogo. É normal que em início de governo surjam medidas como estas. Também há o mau costume de, quando se anuncia algum corte em gastos, colocar na lista os concursos públicos. Tolice, porque o governo não pode contratar sem concurso, uma vez que todos os anos há aposentadorias, falecimentos e exonerações que precisam ser repostas, já que o país está em franco crescimento econômico e populacional etc., o que demanda mais servidores. Parar os concursos é estancar o país.
Para quem acha que essa coisa de suspensão de concurso em tempo de ajuste é coisa nova, já vi esse filme antes e asseguro: isso passa. Quem duvidar disso pesquise na internet sobre a suspensão anunciada em 2008 e 2011.
Antecedentes:
2008
Com o fim da CPMF em 2007 houve anúncio de ajuste fiscal (igualzinho o  que estamos vendo agora).
Resultado: 150 abertas para OFCHAN em 2008 e 190 vagas para ABIN. Apesar do ajuste anunciado no final de 2007, 2008 foi sem dúvidas o ano dos concursos.
2011
Em fevereiro, o contexto era de ajuste fiscal e, inclusive, chegou a ser anunciada suspensão de concursos públicos logo na posse de Dilma. Até nomeações de concursos já realizados foram suspensas.
Resultado: Nomeações e concursos liberados em questõe de meses. Ao final do ano nada menos do que 24.745 vagas foram preenchidas só no Executivo!!!
Coloquemos as coisas em perspectiva história: Está longe de ser o fim do mundo essa notícia. Não é a primeira vez nem será a última que alguém dirá que os concursos serão suspensos para depois soltarem vagas e nomeações.
Os concursos tiveram um soluço e continuaram. O governo não tem como evitá-los por muito tempo. Isso frustra? Esperar dói? Sim, claro, mas os concursos podem ser adiados, não eliminados. Quem continuar estudando irá enfrentá-los melhor do que aqueles que, entristecidos, pararem de se esforçar. Para quem continuar estudando, sob certo aspecto, há até uma boa notícia: os menos persistentes sairão da fila. Escrevo para que você continue nela. Ela vai andar. Fique no jogo, pois os melhores jogadores treinam durante as férias. Ou jogam em outros campos.
-O País não pode parar. A Presidenta Dilma não correrá o risco de fazer um retrocesso histórico no desenvolvimento do país. Os servidores são necessários não só para a economia, para reduzir o custo Brasil etc., mas também para os objetivos sociais do governo. Não há como aumentar a arrecadação, nem combater crime organizado, tráfico e trabalho escravo sem a realização de concursos.
-Confiança. Acredite no que estou dizendo: quem continuar firme nos estudos não terá frustrada sua persistência, ao contrário.
Recomendações:
  1. Não reduza em absolutamente nada seu esforço e dedicação, seus estudos e revisões;
  2. Faça os concursos que ocorrerão nos Estados e Municípios e nas estatais;
  3. Espere com calma, pois ainda este ano ocorrerão concursos nas áreas estratégicas do Executivo Federal;
  4. Tranquilize-se, pois as vagas continuarão lá e precisarão ser preenchidas mais cedo ou mais tarde.
Seja em que hora for, esteja preparado. O futuro irá premiar aqueles que não desanimarem.

“O suor poupa sangue”