segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

COTAS RACIAIS PARA CONCURSOS - ANÁLISE

Está acontecendo no país a maior onda racista da história, são cotas raciais para tudo, desde a faculdade até ao concurso público, um verdadeiro absurdo!
Vou demonstrar isto com apenas um exemplo: 
Existe na periferia duas casas, numa casa mora uma família branca, a casa ao lado é de uma família negra. O menino  negro estuda na mesma escola do menino branco e passam as mesmas dificuldades. Quando crescem, resolvem fazer o vestibular para adentrar na Universidade Pública, realizam ambos a mesma prova. Em pouco tempo sai a nota de ambos, o menino branco tira uma nota um pouco melhor que o negro, pois ele se esforçou mais nos estudos. Porém o branco não terá acesso a faculdade, pois o negro tem vaga reservada devido à cota racial, assim  mesmo que tenha tirado uma nota nota pior que o branco, ele entra e se beneficia de acesso privilegiado.
Depois disso, o branco rala bastante  para se formar numa escola privada, enquanto seu vizinho negro tem uma faculdade melhor e gratuita.
Quando se formam da faculdade,  ambos decidem realizar o mesmo concurso. Acontece a mesma coisa: o branco tira uma nota um pouco melhor que o negro, e assim o negro mais uma vez se beneficia por conta de sua cor de pele e toma posse e o branco não.
Por este exemplo, eu lhe mostro como é um absurdo esta política de cotas raciais para universidades e concursos. No nível federal 20% das vagas devem ser para negros, já para estados e municípios deverão legislar à respeito.
Vou mostrar um exemplo real constante no Edital da SEFAZ RS:
6 Das Vagas Destinadas às Quotas
6.1 Candidatos Negros e Pardos:
6.1.1 Fica assegurada aos negros e aos pardos a reserva de vagas em percentual equivalente a sua representação na composição populacional do Estado do Rio Grande do Sul, nos termos da Lei nº 14.147, de 19 de dezembro de 2012.
6.1.2 O percentual referido no item anterior será aplicado sobre o total de vagas disponibilizado para o cargo
10.4 Serão publicadas quatro listas de candidatos aprovados em ordem classificatória. A primeira conterá a classificação geral de todos os candidatos aprovados, em ordem crescente de classificação, incluindo os candidatos com deficiência, negros e pardos; a segunda conterá a classificação geral dos candidatos aprovados, em ordem alfabética, incluindo os candidatos com deficiência, negros e pardos; a terceira conterá somente os candidatos com deficiência aprovados e a quarta somente os negros e pardos aprovados.
Deste modo, com a disposição de quatro listas, o candidato negro ou pardo disputará tanto as vagas reservadas quanto as vagas destinadas à ampla concorrência (brancos), isto está ocorrendo em praticamente todos os concursos.
Se ele for aprovado dentro da ampla concorrência, seu nome não será contado para o preenchimento das cotas e ele entra na “cota dos brancos/ampla concorrência”, e assim puxará uma pessoa que tirou nota menor para entrar na vaga racial. Ele assim concorre nas duas listas e se beneficia duplamente, tirando a vaga do branco, e diminuindo o percentual aplicado para esta “raça”.
Olha o absurdo que pode ocorrer:
Vamos supor que os negros estudam muito e tiram notas altíssimas, eles deveriam disputar as vagas somente entre os negros, pois o percentual de vagas de negros gira em torno do percentual de negros da região.
Mas não é isto que ocorre, eles irão entrar na concorrência geral, tirando a vaga do branco e os negros com notas mais baixas entrarão na vaga preferencial de negro, e assim pouquíssimos brancos tomarão posse, pois o negro entra na vaga dos brancos (ampla concorrência) e mantém o privilégio das vagas dos negros. Assim o negro somente utiliza a cota para se beneficiar, e nunca irá lhe prejudicar, já para o branco ele sempre irá se prejudicar, isto está acontecendo em todos os concursos.
Com estas medidas, estão jogando a meritocracia por água abaixo e afirmando de forma empírica que uma raça é menos capaz que a outra, pois irá necessitar de certos privilégios para garantir sua aprovação.
Isto é um absurdo, pois cientificamente nem existe o conceito de raça para seres humanos, além disso todos têm a mesma capacidade, independetemente da cor da pele.